quinta-feira, 15 de dezembro de 2011



“Já aconteceu de eu quase chorar por ter tropeçado na rua,
por uma coisa à-toa. É que, dependendo da dor que você traz dentro,
dá mesmo vontade de aproveitar a ocasião para sentar no fio da calçada e chorar como se tivéssemos sofrido uma fratura exposta.”
(Martha Medeiros)



Nenhum comentário:

Postar um comentário